Let me be all that I can be…

Em situações onde o meio em que você vive parece tão errado mas para os outros, que o vivem com você, parece certo, quem é que está correto? Você ou os outros?
Existe uma resposta para uma pergunta como esta?!
Quero dizer, existe uma forma de saber se  estamos certos mesmo que o mundo todo queira nos provar o contrário?
E se isso se relaciona à confiança que cada um firma consigo mesmo, até que ponto, então, que ela nos fala mais alto e com clareza?
Muitas vezes acontece de vermos coisas que os outros não veem; coisas que julgamos estarem erradas e que ao contarmos pra alguém somos, no mínimo, taxados de paranóicos.
Ok, pode ser que, às vezes, sejamos… Mas quem não é?

Exemplificando: Quando você detesta aquela garota que todos, da sua turma, gostam e acham tão querida. Cada movimento dela parece sempre tão falso quanto uma nota de 3 reais. Poxa, é tão evidente. Como podem gostar tanto dela?

É aí que você resolve comentar com algum amigo e, em seguida, é taxado de antipático; chato; que julga sem conhecer. Frustrante!
É difícil expressar nossa opinião sincera em um mundo onde as pessoas sempre querem te convencer do contrário. Te forçar a acreditar no que elas acreditam. Pra quê?!
Existem pessoas que têm suas convicções e que não abrem mão de expressá-las. Porém, há um número maior, de outras pessoas, que perderam suas convicções apenas para que fossem aceitas nos parâmetros da sociedade.
É justo?
É justo se manter calado apenas para ser aceito? Esconder suas opiniões, seus pensamentos e tudo mais que te faz ser quem você é de verdade, visando aceitar o fato de “ter” que “acreditar” naquilo que os outros te impõe?
Não é justo e nem cabível.
Temos que acreditar naquilo que achamos que é certo acreditar.
Não importa quem acha errado; quem acha estranho; quem é contra ou a favor.
O importante é você ser verdadeiro consigo mesmo…
Sendo assim, a paz interior te tens, novamente, de regresso.

Uma resposta para “Let me be all that I can be…

  1. sabrioliveira

    Acho que cada um tem sim o direito de ter sua opinião e expressá-la, só não cabe a ninguém tentar convencer os outros de que essa opinião é a “certa”. Cada pessoa tem suas ideias e concepções. Certo ou errado é, na realidade, uma questão de ponto de vista. Pra mim, eles não existem, o que existem, são consequencias dos atos. Quem não aceita acarretá-las, tampouco conseguirá respeitar a opinião alheia. Ufa, falei demais! haha Gostei do texto, amiga 😉 Te amo :*

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Calendário

agosto 2009
S T Q Q S S D
    set »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Meu Twitter #}~

%d blogueiros gostam disto: